insta

Visualizações
Um blog sobre design e fotos para vinhos com case studies, tutoriais e dicas de vinhos, design e fotografia.

Navigation Menu

A forma dos rótulos e embalagens

A forma é uma consequência natural da disposição regular ou irregular de um agrupamento de linhas que pelo seu conjunto delimitam o espaço. É a primeira percepção do ser humano à realidade. Ela engloba e transmite um conjunto de informações em vista a um objetivo  específico.
No packaging, as formas mais utilizadas são o quadrado, o retângulo e algumas outras formas irregulares. Quando utilizadas em rótulos ou etiquetas, tem constrangimentos ao nível do suporte onde irão ser aplicadas.

Assim, nas garrafas do tipo Borgonha, mais redondas e mais bojudas, as formas retangulares não são muito aconselháveis na vertical. Devido ao constrangimento imposto, esta forma poderá e deverá ser utilizada na horizontal.

Garrafa borgonha com rótulo irregular horizontal. Esse rótulo foi executado há 10 anos atrás e, ainda hoje, continua atual


Tal como a linha, a forma rectangular sugere passividade, indolência e repouso. Terá que ser contrariada na sua composição estética informativa através da marca ou através de elementos apelativos com sinais ou artifícios conforme se destine a um determinado tipo de mercado, contrariando, deste modo, essa sugestão.

Dependendo, dever-se-á utilizar desequilíbrios estéticos provocando dinamismo mais acentuado ou subtil de acordo com o mercado alvo.
Quando falamos em desequilíbrios estamos a referir-nos a regras estéticas que são comuns às artes plásticas, por que esteticamente um pequeno rectângulo de 8cm por 10 cm comporta-se, tal qual uma tela de 80cm por 100cm.
Em  outro tópico revelaremos a divisão estética que deverá ser utilizada em qualquer espaço deste tipo.

Por seu lado, nas garrafas do tipo bordalesa, reportando-nos a forma rectangular, os rótulos deverão ser utilizados na vertical, por que, na bordalesa, pela sua forma esguia e cilíndrica e seu diâmetro de 8cm, se de utilizarmos o rectângulo na horizontal, ficará com pouca largura, com pouco espaço de visibilidade, de informação e de composição estética.
Há teóricos que continuam a apostar neste tipo de garrafa da forma rectangular na horizontal esquecendo-se que numa montra, onde existem milhares de marcas diferentes, há que chamar o mais possível a atenção através do volume gráfico do rótulo. Um rótulo colocado nesta posição também contraria a dinâmica estrutural do próprio objecto.

Em relação as formas irregulares é de evitar as formas triangulares e que, pelos seus ângulos agudos, sugerem agressividade e que têm também constrangimentos na aplicação.
garrafa bordalesa troncocônica com rótulo irregular vertical












Em relação as formas sensuais, onde predominam as curvas, estas podem ser utilizadas nestes dois tipos de invólucro, podendo-se também eliminar essa sugestão de sensualidade através dos elementos gráficos, de fascinação ou de equilíbrio.

No que diz respeito às embalagens propriamente ditas, as formas mais usuais são sem dúvida as regulares pela dificuldade, em termos de custos e técnicas, de desenvolver
outras formas volumétricas, restando ao designer a sua capacidade criativa de desenvolver num poliedro a fascinação adequada à apetência do público. Deve, contudo, neste caso, obedecer a regras elementares de composição e equilíbrio estético tal qual um pintor executa uma obra de arte.
(António Quintas)

0comentários: