insta

Visualizações
Um blog sobre design e fotos para vinhos com case studies, tutoriais e dicas de vinhos, design e fotografia.

Navigation Menu

A Importancia da Embalagem na Escolha de um Produto

Foto: Moema Quintas
Em 1972 John Berger escreveu no seu livro  O sentido da  vista: "nas cidades em que vivemos inúmeras imagens publicitárias chegam até nós todos os dias. Ao longo da história, em nenhuma sociedade tem existido semelhante concentração de imagens, nem tal densidade de mensagens visuais”. Trinta anos mais tarde em “Unique now...or never”, Jasper Kunde escreve: “ Alguns estudos demonstram que um cidadão ocidental normal recebe cerca de 10000 mensagens publicitárias cada dia (...)”. Como consumidores, experimentamos a densidade de mensagens visuais de Berger cada vez que vamos a uma loja. Ao entrarmos tropeçamos com um caleidoscópio de produtos e merchandising, fileiras e fileiras de produtos. O consumidor médio, se é que existe, olha o expositor e encontra opções e mais opções. Observa uma grande variedade de marcas, produtos, sabores, usos, preços e tamanhos e outros critérios de eleição.

Frente a tamanha quantidade de artigos, incidem uma série de factores racionais e emocionais. Estes factores têem uma importância capital sabendo-se que um consumidor não olha um produto mais que alguns segundos. A habilidade, do cérebro humano para reagir a semelhante mescla de imagens e mensagens competidoras, em ocasiões descritas como ruído visual, é extraordinária.

Tem-se levado a cabo muitos estudos para tentar compreender o processo que se inicia quando um consumidor olha um expositor e os produtos separados. Basta concluir que o ruido visual é um desafio para o designer de packaging
Como abrir caminho entre a amálgama visual para nos deparar com um novo produto? Como se cria uma presença visual que atraia os olhos do consumidor e tente ir mais além das suas acostumadas referências visuais?

O rosto da embalagem/rotulagem, que está no expositor deverá seduzir os consumidores, atrair sua atenção e despertar seu interesse, em suma, comunicar.
Frente a uma gama de produtos para escolher, os consumidores recorrem às experiências na hora de eleger o produto adequado, e pensa: “o que comprei da última vez?” Ou deixam-se influenciar pela publicidade visual, pelas promoções ou pela embalagem.
Neste contexto a diferenciação dos produtos é algo muito importante e todas as soluções de embalagens/rotulagem deveriam facilitar aos consumidores a percepção do produto desejado.
O papel principal do design na diferenciação dos produtos é dar consistência à proposta de um produto e explorar todas as caracteristicas da sua embalagem para atrair o mercado, seja através da imagem, da cor, linguagem, forma, ou inclusive a qualidade táctil dos seus materiais.
Na percepção visual a primeira realidade que se apercebe é a forma, depois a cor, as sensações tácteis e só após a mensagem.
Há que ter em conta portanto esta sequência a fim de se obterem elementos válidos de fascinação. A subtileza da forma ou a expressão cromática têem assim influência relevante para a aceitação ou rejeição dos públicos que se pretendem conquistar ou fidelizar.

Concretamente, o projecto de packaging tem implícito uma abordagem processual coerente, na qual são concebidos e geridos um conjunto de sistemas relevantes para a percepção e valorização do resultado final, na óptica empresarial e de consumo. Naturalmente que neste processo os aspectos relacionados com a percepção visual assumem um relevo particular, pois o seu adequado tratamento e desenvolvimento possibilita a sua tradução em factores indutores de:
- Fascinação (qualidade estética);
- Personalização e diferenciação (originalidade temática  ou conceito);
- Referência psicológica;
- Emoção (valor simbólico);
- Impacto (a pregnância formal);
- Notoriedade (memorização e retenção).

Neste contexto e remetendo estas questões para o Sector vitivinicola, compete-nos alertar para a necessidade de tomada de consciência de questões pertinentes no que concerne à imagem em geral e à embalagem/rotulagem em particular.  A diferenciação nos expositores perante a concorrência directa é fundamental para conseguir-se uma melhor e maior competitividade.


(António Quintas)

0comentários: